PENSO, LOGO, BLOGO!

Blog inserido no debate político e de fatos importantes do Município de Londrina (y otras cositas más), que pretende trazer a visão desta jornalista e cidadã londrinense. Lorena Pires Rostirolla (MTB/PR 2.943)

28 de dez de 2009

CONFECOM COMEÇA A DAR FRUTOS

A I Conferência Nacional de Comunicação (I CONFECOM) já começa a dar mostras de sua importância para a área de comunicação. Pelo menos no que diz respeito à inclusão digital e a regulamentação da Internet.

Após a conferência já foi divulgada pelo Governo Federal e se refere ao projeto para o Plano Nacional de Banda Larga. Agora a Internet brasileira terá marco regulatório, uma reivindicação dos movimentos sociais.

Estas ações foram aceleradas pela CONFECOM que deu respaldo ao Governo Federal para implementá-las.

24 de dez de 2009

Le Monde escolhe Lula como o homem de 2009


O jornal francês Le Monde, pela primeira vez em sua história, decidiu eleger uma personalidade do ano e o escolhido foi o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Saiba mais no site da BBC Brasil

22 de dez de 2009

LIBERDADE DE EXPRESSÃO E CFJ

A Globo pode tentar, pode espernear, mas o Conselho Federal de Jornalismo (CFJ) foi uma das propostas aprovadas na I Conferência Nacional de Comunicação (I CONFECOM).

Para os profissionais de jornalismo sérios deste país, o CFJ nada mais é que um órgão regulador profissional, assim como os diversos conselhos de profissionais, existentes no Brasil, como o Conselho Regional de Medicina (CRM), a Organização dos Advogados do Brasil (OAB), o Conselho Regional de Engenharia (CRE), e tantos outros.

O que a Globo e outros veículos, que se retiraram da CONFECOM querem, é manter as coisas como estão. Usando concessões públicas a seu bel prazer e com o Estado sem controle ou ação para agir.

Muita coisa tem de mudar. Acho que empresas como a Globo não podem falar de liberdade de expressão, já que conforme seus interesses e com o poder de veiculação que possuem, cerceiam muitos mais a liberdade de expressão do que poderia um Conselho Federal de Jornalismo, órgão que garantiria a representatividade de todos os atores da Comunicação Social do país. Basta ver a nota que deram no Jornal Nacional no dia em que a CONFECOM estava iniciando.

Uma das coisas que este órgão poderia coibir é a condenação prévia. Aqui não entro no mérito de quem comete crimes ou não, pois quem deve tem de pagar. Mas que a Globo usa o seu poder de influência para manter ou derrubar, ela usa.

POR HOJE É SÓ

Mas continuarei com as postagens sobre esta conferência (CONFECOM), já que este evento é histórico e fundamental para a democratização da Comunicação.

O Brasil começa a desvelar o dito "quarto poder".

CONFECOM - AVANÇOS

crédito Ascom/Ministério das Comunicações

Cerca de 700 propostas foram aprovadas durante a CONFECOM, 601 por consenso ou com aprovação de 80% nos grupos de trabalho (GTs). Para votação em plenário foram encaminhadas 150 propostas, das quais foram votadas apenas 70, já que, pelo adiantado da hora e o fato de que a maioria dos delegados retornaria aos seus Estados no mesmo dia do encerramento (dia 17), à noite.

Os delegados votaram para que as propostas entrem para o caderno final da conferência como propostas "não apreciadas" e com indicativo para a próxima conferência que deverá ocorrer em 2011.

Os profissionais em jornalismo foram os maiores vitoriosos, como já postei anteriormente, pois todas as propostas da categoria, inclusive aquelas de interesse de toda a sociedade foram aprovadas ainda nos grupos. Veja na postagem CONFECOM E FENAJ, aqui no In foco In Loco.

CONFECOM - HOMENAGEM A DANIEL HERZ

crédito Ascom/Ministério das Comunicações

O jornalista Daniel Herz, falecido em 2006, pioneiro na luta pela democratização da comunicação no país foi o grande homenageado na CONFECOM. Ele foi um dos mais atuantes militantes na luta pela democratização da comunicação no país, e um dos articuladores da Lei do Cabo.

Seus filhos Fernando e Guilherme, foram homenageados com uma placa comemorativa e foi mostrado um filme em homenagem a Herz, mostrando sua trajetória de luta por uma comunicação igualitária. A placa foi entregue pelo coordenador-geral do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), Celso Schröeder. Vice-presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). Schröeder fez o primeiro discurso da sessão de abertura e agradeceu ao presidente Lula pela coragem de organizar a conferência ajudando a quebrar o silêncio em relação à comunicação.

É de Daniel Herz o livro "A História Secreta da Rede Globo", da editora Dom Quixote, na coleção "Poder, Mídia e Direitos Humanos". Leitura que não pode faltar aos profissionais de comunicação e todos interessados na democratização da comunicação no Brasil.

Conheça mais sobre a vida e obra do jornalista no site www.danielherz.com.br

CONFECOM - DISCURSO DO PRESIDENTE

crédito Ascom/Ministério das Comunicações

Durante a abertura da I CONFECOM, o discurso do presidente Lula foi, além de tenso devido à pressão da Associação Brasileira de Empresas de Rádio e Televisão (ABRA) - da qual são afiliadas as redes TV e Bandeirantes -, foi também extremamente técnico.

A impressão dos delegados e delegadas, principalmente da sociedade civil organizada, foi a de que Lula discursou de maneira a mostrar a todos os avanços que a realização da conferência traria ao país, no entanto sem inflamar os ânimos, para que o evento transcorresse com a maior tranquilidade possível.

Leia mais no site do Ministério das Comunicações.

21 de dez de 2009

Problemas com a conexão

Após quatro dias com problemas em minha conexão, volto agora a postar no In Foco In Loco.

16 de dez de 2009

CONFECOM III e FENAJ

REUNIÃO DA FENAJ NA I CONFECOM



Estamos super atrasados. As propostas consensuadas e as aprovadas com mais de 80% dos votos, nos 15 grupos, começaram a serem lidas às19h. Os ânimos estão quentes, mas já conseguimos alguns avanços como a aprovação da criação de um sistema de comunicação composto pelos conselhos municipais, estaduais e nacional de comunicação e a regulamentação do jornalismo, o que implica em uma nova Lei de Imprensa.

Como, na defesa desta última, não se citou o termo "Lei de Imprensa" consideramos uma conquista, pois o setor empresarial deixou "passar batido".

Também o registro por formação superior foi aprovado em alguns grupos e deverá ser uma das propostas garantidas nos anais desta I CONFECOM.

Estas três propostas, além de serem estratégicas para a sociedade civil organizada como um todo, foram tiradas também como estratégicas para os(as) profissionais em jornalismo e apontadas em reunião da FENAJ, ocorrida ontem (dia 15), à noite, como prioridade.

Mais tarde tentarei colocar mais informações, já que, pelo jeito, hoje a plenária vai longe.

CONFECOM II


A delegação do segmento da sociedade civil do Paraná, reuniu-se no dia 14, antes do início da CONFECOM, para estabelecer estratégias de atuação e defender as propostas do segmento que foram aprovadas na I Conferência Estadual de Comunicação.


Uma das pautas da reunião também foi a informação das demais delegações quanto a pontos importantes que estariam sendo tratados no evento, dentre eles o acesso à banda larga, a questão das outorgas e concessões, o incentivo à comunicação comunitária, a defesa de direitos, o debate sobre os esteriótipos reproduzidos pela comunicação comercial, entre outros.


Mais informações sobre a CONFECOM na próxima postagem.

CONFECOM 1

A abertura do I CONFECOM foi tensa. O motivo consta em minha postagem anterior. O presidente Lula foi extremamente cuidadoso em seu discurso, já que o embate maior estava em mais uma parcela do setor empresarial sair da conferência, o que poderia inviabilizar e enfraquecer o debate.

Pelo que percebi, o importante era garantir a maior participação possível e isso foi conseguido. Porém o debate está pesado. O quórum sensível, que estava proposto e prejudicaria mais ainda o debate, foi derrubado na votação do regimento que estava prevista para o dia 14, antes da abertura e só acabou ocorrendo após os painéis de ontem de manhã (dia 15).

O enfrentamento agora se dá nos grupos de trabalho, com uma proposta de sistematização diferenciada que segue a formatação da delegação que participa da CONFECOM. De cada um dos 15 grupos seram encaminhadas, à plenária final, dez propostas - quatro da sociedade civil, quatro do setor empresarial e duas do poder público, respeitando o percentual de delegados no evento: 40% - 40% - 20%, respectivamente.

Enfim, o "bicho" vai pegar é na plenária final.

15 de dez de 2009

NÃO ESTÁ SENDO FÁCIL

Estamos aqui na I CONFECOM e o clima está quente. Após a Associação Nacional de Jornais (ANJ) e a Associação Brasileira de Empresas de Rádio e Televisão terem boicotado todo o processo da conferência, ontem (dia 14), antes da abertura, a Associação Brasileira de Radiodifusores, que tem como associadas as redes TV! e Bandeirantes agiu para garantir temas sensíveis também dentro dos grupos de trabalho, repetindo recurso exigido em maio deste ano, para que as entidades empresariais se mantivessem no evento.

O quórum sensível, como está sendo chamado, é um tipo de votação que poderá inviabilizar a CONFECOM e que só servirá para que o setor empresarial de comunicação faça a propaganda de uma conferência esvaziada de propostas.

Para a sociedade civil organizada, que luta há muitos anos, pela democratização da comunicação, o quórum sensível foi uma estratégia dos empresários para impedir a aprovação de temas estratégicos para a consolidação do controle social na área e o acesso da maioria da população ao empoderamento e acesso à informação.

Diferentemente do processo democrático que respeita a maioria (50% mais 1), o tipo de votação apresentado pelo setor empresarial exige uma votação de 60% + um voto de cada segmento, aqui representados pelos empresários, poder público e sociedade civil organizada. Como os segmentos estão distribuídos em 40%, sociedade civil organizada; 40%, setor empresarial, e 20%, poder público, pode-se imaginar a dificuldade que será aprovar propostas que exijam um maior debate.

************************

Como o acesso à Internet está difícil aqui na CONFECOM, mais tarde deverei falar um pouco da abertura do evento ontem, que contou com a presença do presidente Lula e também sobre o que está acontecendo hoje.

13 de dez de 2009

O MAIOR DEBATE SOBRE A COMUNICAÇÃO NO BRASIL

Começa amanhã (dia 14) o maior debate sobre a comunicação no Brasil e que irá definir novos rumos para a área.

Muitos enfrentamentos foram feitos para que chegássemos à I Conferência Nacional de Comunicação (CONFECOM) que será realizada no Centro de Eventos Ulisses Guimarães, em Brasília, de 14 a 17 deste mês, e que deverá receber cerca de 1.600 delegados, convidados e observadores.

Primeiro foi necessário um presidente sério e preocupado com a democratização da comunicação e segundo foi fundamental romper a barreira do empresariado midiático para que os debates pudessem ocorrer em todo o país em conferências livres, municipais e estaduais.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva entende a importância do evento já que foi um dos homens mais visados pela mídia, na maioria das vezes, a mídia que não o queria no governo e porque sentiu na pele o que uma imprensa que não é séria pode fazer com a população que não tem condições de acesso a todas as informações e acaba por "comprar o peixe" conforme os interesses de quem o vende.

Nesta segunda-feira todos os olhares devem estar voltados para a CONFECOM e o embate será difícil, mas a sociedade está preparada para realizá-lo. Participam do evento a sociedade civil organizada - que compreende movimentos sociais, populares, sindicais e entidades de todos os perfis -, o empresariado e o governo em todas as esferas.

E vamos ver se a grande mídia estará divulgando com a ênfase que deve ser dada.

8 de dez de 2009

HEBER, PARABÉNS! VOCÊ MERECE


Ver o meu time campeão brasileiro (MENGOOO), o Inter como vice campeão e ainda ter o orgulho de ver um londrinense apitar o jogo contra o Grêmio, com toda a pressão que esse jogo exercia sobre a arbitragem, deixou minha semana bem mais feliz.

Parabéns, Heber Roberto Lopes.

Temos que marcar algum dia em um videokê para você cantar Tropicana...rsrs

Um abraço.

7 de dez de 2009

O INCONCEBÍVEL LULA

O artigo já não é tão recente (abril/2009), mas o teor é atualíssimo e verdadeiro.


O INCONCEBÍVEL LULA - por Pedro R. Lima, professor - UERJ Enonomia

FHC, o farol, o sociólogo, entende tanto de sociologia quanto o governador de São Paulo, José Serra, entende de economia. Lula, que não entende de sociologia, levou 32 milhões de miseráveis e pobres à condição de consumidores; que não entende de economia, pagou as contas de FHC, zerou a dívida com o FMI e ainda empresta algum aos ricos.

Lula, o “analfabeto”, que não entende de educação, criou mais escolas e universidades que seus antecessores juntos, e ainda criou o PRÓ-UNI, que leva o filho do pobre à universidade.

Lula, que não entende de finanças nem de contas públicas, elevou o salário mínimo de 64 para mais de 200 dólares, e não quebrou a previdência como queria FHC.

Lula, que não entende de psicologia, levantou o moral da nação e disse que o Brasil está melhor que o mundo. Embora o PIG - Partido da Imprensa Golpista, que entende de tudo, diga que não.

Lula, que não entende de engenharia, nem de mecânica, nem de nada, reabilitou o Proálcool, acreditou no biodiesel e levou o país à liderança mundial de combustíveis renováveis.

Lula, que não entende de política, mudou os paradigmas mundiais e colocou o Brasil na liderança dos países emergentes, passou a ser respeitado e enterrou o G-8.

Lula, que não entende de política externa nem de conciliação, pois foi sindicalista brucutu, mandou às favas a ALCA, olhou para os parceiros do sul, especialmente para os vizinhos da América Latina, onde exerce liderança absoluta sem ser imperialista.. Tem fácil trânsito junto a Chaves, Fidel, Obama, Evo etc. Bobo que é, cedeu a tudo e a todos.

Lula, que não entende de mulher nem de negro, colocou o primeiro negro no Supremo (desmoralizado por brancos), uma mulher no cargo de primeira ministra, e pode fazê-la sua sucessora.

Lula, que não entende de etiqueta, sentou ao lado da rainha (a convite dela) e afrontou nossa fidalguia branca de lentes azuis.

Lula, que não entende de desenvolvimento, nunca ouviu falar de Keynes, criou o PAC, antes mesmo que o mundo inteiro dissesse que é hora de o Estado investir, e hoje o PAC é um amortecedor da crise.

Lula, que não entende de crise, mandou baixar o IPI e levou a indústria automobilística a bater recorde no trimestre.

Lula, que não entende de português nem de outra língua, tem fluência entre os líderes mundiais, é respeitado e citado entre as pessoas mais poderosas e influentes no mundo atual.

Lula, que não entende de respeito a seus pares, pois é um brucutu, já tinha empatia e relação direta com Bush - notada até pela imprensa americana - e agora tem a mesma empatia com Obama.

Lula, que não entende nada de sindicato, pois era apenas um agitador, é amigo do tal John Sweeny e entra na Casa Branca com credencial de negociador, lá, nos "States".

Lula, que não entende de geografia, pois não sabe interpretar um mapa, é ator da mudança geopolítica das Américas.

Lula, que não entende nada de diplomacia internacional, pois nunca estará preparado, age com sabedoria em todas as frentes e se torna interlocutor universal.

Lula, que não entende nada de história, pois é apenas um locutor de bravatas, faz história e será lembrado por um grande legado, dentro e fora do Brasil.

Lula, que não entende nada de conflitos armados nem de guerra, pois é um pacifista ingênuo, já é cotado pelos palestinos para dialogar com Israel.

Lula, que não entende nada de nada, é melhor que todos os outros.

Pedro R. Lima, professor
UERJ Enonomia

Fonte: muitas edições de VEJA.

MEU PAI DEVE ESTAR FELIZ LÁ NO CÉU

E eu estou feliz aqui na terra... rsrs

Meu MENGO foi campeão (meu pai também torcia para o rubro negro) ganhando do Grêmio...rsrs... maior rival do nosso COLORADO (eu torço para o Inter por causa do meu pai, gaúcho de Soledade)

É... seu Angelo Guaracy Rostirolla. Poderia haver combinação melhor? Saudades, paizão.