PENSO, LOGO, BLOGO!

Blog inserido no debate político e de fatos importantes do Município de Londrina (y otras cositas más), que pretende trazer a visão desta jornalista e cidadã londrinense. Lorena Pires Rostirolla (MTB/PR 2.943)

22 de jun de 2009

LULA VEM AÍ

Apesar de nossos grandes veículos de comunicação, Folha de Londrina e JL, não darem importância para o fato de termos hoje, em Londrina, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ele estará qui para lançar o Plano Safra 2009-2010 no valor de cerca de R$ 107 bilhões, 37% a mais que o plano anterior. Deste total R% 15 bilhões serão destinados à agricultura familiar.

Lula estará no Parque Ney Braga, às 15h.

Mas quero aproveitar este post para mostrar como nossa imprensa "local" trata o assunto. Coloco abaixo as imagens das edições da Folha de Londrina e do JL, de ontem (21) e de hoje (22) para que os (as) leitores (as) e principalmente meus colegas de profissão (jornalistas), estudantes de jornalismo e interessados possam analisar como os veículos de comunicação tratam do assunto e que tipo de destaque dão.


Domingo, 21/06/2009

Segunda-feira, 22/06/2009


Domingo, 21/06/2009

Segunda-feira, 22/06/2009

AH... O PRESIDENTE CHEGA AO AEROPORTO POR VOLTA DE 14h E IRÁ, EM COMITIVA, ATÉ O PARQUE NEY BRAGA.

9 comentários:

Paulo Briguet disse...

Lorena:
Não sei do que você está reclamando! Eu dediquei minha crônica de hoje ao nosso querido Aitolula.
Abraço.

Lorena disse...

Caro amigo (ou ex-amigo já que você há algum tempo atrás escreveu que havia se arrependido de tudo o que pensava, acreditava ou havia feito e que , inclusive, se pudesse, apagaria tudo. Lembro que até pensei em escrever um commentário, mas depois desisti achando que vôcê podia não se lembrar de mim - ou fazer questão de esquecer também) Paulo Briguet.

Felizmente, Paulo, como sou uma pessoa sem essa capacidade de mudar radicalmente - já que fui moldada em bases sólidas de pensamento - decidi, para não enterrar aquela amizade que tantas boas conversas me proporcionou, acreditar que aquele meu amigo foi abduzido e que este que hoje existe não é o mesmo que dantes.

E infelizmente sinto dizer-lhe, meu caro, que o fato de tratarem você como alguém fora do comum, não o torna alguém fora do comum e isento de erros em suas avaliações.

O que mais sinto mesmo é que aquele Paulo Briguet mais coerente está em algum lugar, talvez no infinito, dentro de um invólucro esperando que a mesma nave venha abduzir este ser em que você se transformou e trazer meu amigo de volta.

Sabe que muitas vezes quis falar com você, mas hoje sinto que isso se tornou impossível. E isso dói muito porque você foi um grande amigo de quem tenho muitas recordações que você, com certeza, já esqueceu.

Vou continuar aqui, sendo esta idiota que acredita que pode mudar o mundo com seu trabalho de formiguinha, construindo alguma coisa que não seja só rancor e depressão.

Paulo Briguet disse...

Lorena:
Eu me arrependi do comentário anterior logo depois que o enviei.
O objetivo da minha ironia foi fazer você pensar na injustiça que cometeu com seus colegas de jornalismo da Folha e do JL. Os dois jornais reservaram amplo espaço para a visita de Lula a Londrina. Se permitiram comentários críticos - minha crônica, por exemplo - isso é da natureza da democracia.
Infelizmente, você mistura amizade com posições políticas. E isso é triste, porque pessoalmente não considero você uma inimiga ou amiga "abduzida". Tenho muitos amigos de esquerda; muitos deles trabalham comigo. Pergunte a eles se sou esse monstro que você descreveu na resposta.
Um abraço. E tudo de bom pra você.

Lorena disse...

Paulo, nunca disse que você é um monstro, mas que, no meu ponto de vista, é equivocado. E quando falei das capas da Folha e do JL jamais quis atingir meus colegas de profissão. No entanto encaro os dois veículos como eles devem ser encarados: como empresas que têm interesses. E não é interesse deles (nunca foi) colocar em evidência um presidente da República que é do PT, muito menos o Lula, mesmo ele sendo a maior autoridade do país. Inclusive peço desculpas aos meus colegas de profissão se entenderam desta forma a minha postagem.

Mas é claro que esse tipo de avaliação uma universidade dá a um estudante de jornalismo, assim como dá também - para aquele que realmente leva a sério um curso de jornalismo - a capacidade analítica para discernir como se processam as informações nessas empresas. Não quero entrar aqui na temática da alienação e da manipulação, ou ainda da omissão, que você conhece muito bem. Pare um pouco para olhar aquelas imagens que coloquei e reflita. Digo isso tudo sabendo sua opinião a respeito da obrigatoriedade do diploma.

Nunca misturei amizades com posições políticas. Já tive debates com você, via internet, e nunca lhe ofendi. Nem fiz comentários irônicos em seu blog como aquele que você fez de graça. Sempre respeitei suas escolhas. Lembro quando você conversava comigo e dizia não estar feliz com sua profissão de jornalista e, inclusive, quando você decidiu abandonar tudo. Lembro como se fosse hoje de lhe dizer que achava que você era um excelente profissional e que eu estava triste por vê-lo se afastando do jornalismo, mas que também respeitava sua decisão. Recordo também que tinha certeza que essa decisão não era definitiva. Que você retornaria. Lembro ainda que, mesmo você já tendo mudado suas opiniões, fiz questão de ir ao lançamento do seu livro. Aquele que você autografou para mim, lindamente.

Tenho amigos de esquerda, de centro, de direita, em cima do muro, ligados à política ou não. Respeito todos eles e por isso sou também respeitada. Sempre disse que tem gente boa em todos os lugares, independentemente de ideologia. Digo isso sempre nas palestras que dou de formação política. Creio que as opiniões devem ser respeitadas desde que sejam baseadas em argumentos sólidos e não em sentimentos mesquinhos e despeitados. Estes são princípios meus, somados aos que herdei de meu pai, uma excelência em caráter e retidão. Excelência que eu busco alcançar.

Não considero você meu inimigo (a não ser que você decida isso). Mas um dia ainda quero ver um comentário seu em meu blog que não seja esse que você fez. E gostaria também, por mais que você não goste do PT ou do Lula, que suas crônicas e suas opiniões fossem mais consistentes porque o que você diz apenas reflete o senso comum (coisa da qual fujo porque o senso comum é o contrário do questionar, do raciocinar) e não uma linha de pensamento baseada na busca de encontrar respostas e soluções às nossas dúvidas e anseios.

Mesmo assim, depois de toda esta conversa, continuarei respeitando seu direito a acreditar naquilo que quiser. Porém só posso lhe dizer que guardo comigo a lembrança daquele meu amigo de outros tempos: gentil, brincalhão, que toca um violão e canta muito bem (apesar de achar que não). Este Paulo Briguet de hoje soube como manter distância e acredito que nem tenha interesse em minha amizade.

Um abraço e desejo tudo de bom para você, também. Que você seja feliz em sua vida e com os caminhos que escolheu.

Alisson disse...

esqueceu de dizer que ele esteve em londrina a convite da sociedade rural, essa sociedade que faz panfletagem na exposição demonizando o mst, pagam pistoleiros para atacar aqueles que lutam pela reforma agrária, e que o lula esteve aqui para anunciar ajuda a quem não precisa de ajuda, dinheiro para o agronegócio, que aumenta a miséria no campo destrói o meio ambiente e promove a injustiça social.

Lorena disse...

Ai, Alissn, às vezes isso cansa. O Lula prestigiou Londrina vindo anunciar um plano nacional que beneficia a toda a população, já que o Brasil é um grnde produtor agrícola.

O que aumentou a miséria no campo foi a falta de investimento que sempre aconteceu em governos anteriores deixando a agricultura à míngua.

E você não sabe o que está falando. Fala só para ser do contra e sinceramente acho que vai demorar muito para termos pessoas mais politizadas. O que você sabe da reforma agrária? Vá conversar com os agricultores, principalmente os pequenos e os da agricultura familiar e você vai descobrir que nunca se fez tanto, e com tanto respeito, como este governo do Lula está fazendo. Basta ver os números positivos que este goveno está apresentando.

Alisson Marques disse...

só sei que a reforma agrária está longe de acontecer no Brasil. Os ruralistas estão rindo à toa. Enquanto isso os conflitos agrários só crescem no Brasil. O Lula vai esperar até quando para agir? A solução dele é emprestar dinheiro para o FMI, toda a luta da esquerda foi esquecida, até defender o maior representante do atraso que é o Sarney o Lula já fez para manter a tal da governabilidade, ser petista é uma coisa ser cego ou fingir-se de cego é outra.

Lorena disse...

Repito aqui o que já comentei no outro post:

Eu não sei se você é do POR, PSTU ou PSOL, da Heloisa Helena que está com processo por não pagamento de impostos, essa brasileira tão correta e tão "leal", ou se é só um desinformado do bando do senso comum, mas estude bastante e avalie realmente as coisas. Se aprofunde. É o meu conselho. E isso serve para este seu comentário e o outro sobre o transporte.

Alisson disse...

não precisamos entrar nas questões morais para criticar o governo Lula. Não sou tão injenuo a ponto de defender incondicionalmente a Heloisa Helena, como fazem os Lulistas. Eu acredito num projeto não em um nome.